há 381 anos nascia o espetáculo da paixão de Cristo


cristo_paixao_580Eu, produtor cultural, nasci no meio artístico como ator. Iniciei minhas primeiras participações no palco dos pátios das igrejas católicas de minha comunidade e como não poderia ser diferente, podíamos encenar tudo desde que anualmente fosse feita a Paixão de Cristo, ou Via Sacra para os mais  “devotos”. Logo após o termino do carnaval já fazíamos as primeiras reuniões para atualização do texto e inovar naquele ano de acordo com o tema da Campanha da Fraternidade. Jovens da comunidade ficavam motivados, senhores e senhoras, todo mundo vinha para ajudar ou participar como figurante, ou  quiçá ser um dos 12 Discípulos ou um soldado Romano. Nas reuniões começávamos a pesquisar sobre passagens bíblicas e estudos sobre as mesmas; eu era mais afoito em pesquisar montagens de outras localidades e tecnologias que pudessem ajudar na encenação. Fumaça colorida, jatos de espuma, mecânica, etc. Mas numa dessas Pesquisas encontrei uma das primeiras encenações da Paixão de cristo, numa cidade da Bavária, Alemanha. Fiquei muito curioso. Caramba, saber a origem das tradições pode nos levar a  algum lugar, pensava eu. Sabíamos quem criou o presépio natalino: Francisco de Assis, na cidade italiana de Greccio, em 1223, o primeiro a usar a manjedoura com figuras esculpidas formando um presépio, tal qual o conhecemos hoje.  Mas e a primeira encenação da Via Sacra? Onde e como ocorreu e porque ? depois de algumas buscas pude escrever algo que acredito poder registrar mais uma dessas forma devocionais que a arte nos proporciona.

Encenação da Paixão de Cristo é atração em Oberammergau / Foto : Divulgação/Oberammergau

Encenação da Paixão de Cristo é atração em Oberammergau / Foto : Divulgação/Oberammergau

Oberammergau é um município do distrito de Garmisch-partenkirchen Estado Federado de Baviera, no sul da Alemanha. Encontra-se localizado no vale do Rio Ammer.

Depois que a “peste negra“ provocou a morte de inúmeros habitantes, também atingindo a vila da Alta Baviera, alguns cidadãos prometeram, em 1633, apresentar a peça do “sofrimento, morte e ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo“, para que a peste não exigisse mais nenhuma outra vítima. Realmente essa lenda foi passada de geração a geração, e, a partir daí, nenhum habitante de Oberammergau morreu em função da epidemia. Em Pentecostes de 1634, os habitantes cumpriram a promessa pela primeira vez. A apresentação aconteceu em um palco no cemitério, montado em cima dos túmulos dos mortos pela peste negra. Desde então, os habitantes apresentam regularmente sua encenação. Na Idade Moderna, o teatro tornou-se um acontecimento renomado internacionalmente e gera muitos milhões de euros.

Christian Stückl/diretor contemporâneo

Christian Stückl/diretor contemporâneo

O diretor muniquense Christian Stückl dirige novamente as encenações pela terceira vez desde 1990. Em 2010, pela primeira vez, aos 48 anos, ele obteve do Conselho Municipal o direito de propor os atores para encenação , e a maioria foi aceita.

A encenação acontece apenas a cada 10 anos, duram mais de 100 dias e são internacionalmente únicas.Turistas da Alemanha e de todo o mundo vêm à essa vila, localizada nos Alpes bávaros, para vivenciar a história do padecimento de Jesus Cristo.Uma particularidade é que os mais de 2.500 atores – dentre eles um a cada dois habitantes da cidade – atuam no palco ou nos bastidores do gigantesco teatro ao ar livre. Todo aquele que estiver vivendo a mais de 20 anos em Oberammergau ou nasceu lá, tem o direito de participar. A história de sucesso do teatro da Paixão de Cristo de Oberammergau está indivisivelmente ligada à peste na Guerra dos Trinta Anos (de 1618 a 1648).

 Frederik Mayet, é um dos dois atores que interpretaram Cristo no ano de 2010. Mayet, que deixou, de acordo com as normas, crescer a barba como todos os atores masculinos, dividiu com o estudante de Psicologia Andreas Richter o papel principal. Todos os principais papeis são ocupados por duas pessoas. É feito um sorteio de quem vai atuar na estreia. Quando a cortina descer pela última vez no início de outubro, quase meio milhão de espectadores, dentre eles muitos dos Estados Unidos, terão visto a encenação da Paixão de Cristo.

O diretor Stückl mais uma vez foi imaginativo para tornar o evento um grande sucesso para o município à beira dos Alpes. Pela primeira vez, ele transferiu o apogeu de sua encenação para o fim da tarde, para poder aproveitar de forma dramática o cair da noite. Desta vez ele quer destacar ainda mais que “consequências Cristo assumiu durante sua vida até sua crucificação“.

Da Primeira encenação pra cá passam-se 382 anos de História de paixões de Cristo, encenadas em milhares de cidade ao redor do mundo, escola de formação para muitos  atores iniciantes. Uma das encenações mais famosas no Brasil  é da cidade de Nova Jerusalém. O espetáculo da Paixão de Cristo de Nova Jerusalém, na verdade, teve sua origem nas encenações do Drama do Calvário, realizadas nas ruas da vila de Fazenda Nova, Pernambuco, no período de 1951 a 1962, graças à iniciativa do patriarca da família Mendonça, o comerciante e líder político local Epaminondas Mendonça. Depois de ter lido em uma revista de variedades como os habitantes da cidade de Oberammergau, na Baviera alemã, encenavam a Paixão de Cristo, Mendonça teve a ideia de realizar um evento semelhante durante a Semana Santa a fim de atrair turistas e assim movimentar o comércio do lugar. Os primeiros espetáculos da pequena vila contavam com a participação apenas de familiares e amigos dos Mendonça. Com o passar dos anos, as encenações começaram a atrair atores e técnicos de teatro do Recife e a Paixão começou a ganhar fama e notoriedade em todo o estado. Fazenda Nova, vila do município do Brejo da Madre de Deus, onde aconteceram essas primeiras encenações, fica bem próxima ao local onde hoje se situa a cidade teatro de Nova Jerusalém (site Oficial) .

Via Sacra do anjo da Guarda

Resistência Cultural reconhecida .

Claudio Silva

Claudio Silva

O Grupo Grita surgiu há 39 anos e se inseriu na área Itaqui-Bacanga, na periferia de São Luís/Ma, em 1977 com o objetivo de desenvolver atividades artísticas e culturais de cunho político e social, que demonstrassem através do teatro popular questões cotidianas da comunidade, tornando-se assim um marco no movimento teatral, sendo considerado um dos grupos mais representativos da arte maranhense.

Com o propósito de traduzir o sentimento libertário da paixão de Cristo em torno da emancipação da comunidade do Anjo da Guarda, hoje com mais de 200 mil habitantes, foi concebido em 1981, o espetáculo Via Sacra. Desde então, já são 34 edições da Via Sacra, reunindo um público de mais de 2,5 milhões de espectadores.

 Por Valberlucio Pereira

Anúncios

O Seu comentário nos ajuda a melhorar !

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s